A revolução visual do ‘O Povo’



“O sistema da Mundiware veio pra ficar”.

Por Ivan Monteiro

Dizem que o jornalismo está em crise. Essa questão parece um tanto redundante se pensarmos que, em crise, estão diversos setores. No entanto, a Internet, smartphones e redes sociais contribuíram para uma transformação midiática sem precedentes. A crise aqui é em formatos e no modelo de negócios, não no jornalismo em si. Afinal, nunca se leu tanto notícias como agora. 

Por isso, assimilar o novo comportamento das pessoas em relação à forma como elas buscam notícias, se tornou trivial. Dessa forma, O POVO, um dos mais importantes e tradicionais jornais, apresentou uma nova dinâmica para promover o seu principal produto - que é o conteúdo jornalístico -, em seu aniversário de 90 anos. 

Lançado em 1928, com apenas 12 páginas e textos diversos diagramados e divididos por linhas pretas, O POVO foi crescendo e absorvendo as tecnologias para estrear, finalmente, uma nova fase: mais digital, envolvente e coerente com o atual contexto dos leitores. 

“O projeto começou há mais de um ano e envolveu várias discussões. Com um grupo grande de jornalistas, ficamos durante esse período analisando o atual momento da profissão. Redesenhamos processos e tarefas, desde como a redação se organiza, como a informação chega até ser distribuída”, Gil Dicelli, editor-executivo do Núcleo de Design Editorial do O POVO.

Apesar das mudanças visuais serem as mais aparentes, Gil destaca que o projeto foi além. “É muito mais que uma mudança gráfica que é apenas uma fachada. Visualmente, as alterações apenas refletem um processo profundo sobre como é essa nova fase do jornalismo que queremos fazer”.

“A parceria com a Mundiware foi importante”

Grandes mudanças precisam de fortes bases. E com a mudança estratégica de O POVO não foi diferente. Utilizando o sistema da Mundiware, empresa de tecnologia especializada em sistemas para jornais, foi possível colocar em prática um sistema inovador. 

“Sentimos o impacto da parceria com a Mundiware na facilidade do processo desde o início. Percebemos mais praticidade nos processos, desde o desenho da página, envolvendo todos setores da empresa como os anúncios, fotos e textos”, revela Gil. 

O editor-executivo acrescenta que, para chegar a esse “nível sofisticado” conquistado no design, foi necessário um software que atendesse as necessidades da transformação do jornal.

“O sistema da Mundiware veio para ficar. Ele oferece mais velocidade e acredito que seja impossível fazer um jornal sem algum tipo de sistema como esse. Afinal, é impossível acompanhar o mundo com tamanha complexidade de informações, sem essa base. Sistemas como da Mundiware são aliados atualmente do “fazer jornalismo”, afirma.

Repercussão e desafios

Sobre a repercussão do novo formato do impresso, Gil afirma que está sendo positiva. “Leitores mais antigos que acompanham o jornal, estão elogiando. Os comentários nas redes sociais também estão bons”.

Quando questionado sobre o principal desafio de traçar um novo conceito para O POVO, Gil afirma que foi ter de projetar tudo do início. “Já havia acompanhado várias mudanças gráficas a partir de ideias e execução de empresas de fora, mas agora foi feita 100% dentro do jornal. É um desafio novo a cada dia”.

Outra mudança está no conteúdo. Gil afirma que O POVO terá grande foco no jornalismo investigativo, deixando ainda mais provado que a transformação é geral. A capa do jornal também ganha uma nova relevância. “Será diferente todos os dias, vamos ousar diariamente e ela será imprevisível”.

“A Mundiware tem a felicidade de fazer parte da história de um jornal que completa 90 anos e não para de trazer inovações e se reinventar de tempos em tempos, auxiliando na evolução deste mercado em meio às dificuldades!”, comemora Emmanuel Ferreira, diretor geral da Mundiware.

Gil Dicelli é um dos maiores jornalistas do país

Vencedor cinco vezes do Prêmio ExxonMobil de Jornalismo (anteriormente conhecido como Prêmio Esso), a mais importante distinção conferida a profissionais de imprensa no Brasil, todos na categoria Criação Gráfica Nacional – Jornal, Gil Dicelli foi indicado como finalista outras três vezes. É um dos profissionais de design que mais vezes ganhou esse prêmio.

Outros prêmios:

2008: ganhou o Award of Excellence na categoria News Design/Page, prêmio concedido pela Society for News Design (SND), a mais importante instituição internacional de design de jornais;

2016: foi vencedor de mais três prêmios internacionais, no 18º European Newspaper Award, na categoria "capa de jornal regional" e duas vezes na categoria "página de notícias", subcategoria "desastres naturais". Nesta última, foram premiados os cadernos especiais "À espera de Francisco" e "A seca que matou os peixes", veiculados no jornal O Povo, em maio e agosto de 2016, respectivamente;

Sua premiação mais recente, juntamente com equipe, foi no Prêmio Banco do Nordeste de Jornalismo em Desenvolvimento Regional - Edição 2017, com o infográfico "Como será a transposição", publicado no caderno especial "À espera de Francisco".

Gil Dicelli é o 95º jornalista mais premiado da história do país e o 14º do Nordeste, segundo a edição 2016 do Ranking dos Mais Premiados Jornalistas Brasileiros, da Jornalistas Editora.




Mais notícias