Ferramenta preza por jornalismo correto e facilita ajustes em portais



Por Marina Diana

Millor Fernandes já dizia: "Errar é humano. Botar a culpa nos outros também". Corrigir um equívoco, seja num texto ou na vida, é natural, considerado correto. Mas o jornalismo ainda teme, e muito, o fato de ter de admitir um erro. Ainda mais quando precisa atribuir o título de culpado a algum fato ou alguém.

A preocupação com a fidelidade jornalística, fundamental nos veículos de comunicação, ainda não é prioridade em algumas mídias. "Atualmente, no meio digital, em especial, não há uma preocupação em ser transparente para com o leitor em questão de correções. Tem, claro, a preocupação em corrigir o conteúdo o quanto antes, mas a sinalização do mesmo deixa a desejar em quase todos os portais", afirmou Emmanuel Ferreira, diretor da Mundiware, empresa de tecnologia especializada em sistemas para jornais e no desenvolvimento de soluções sob medida para a otimização das fases de produção.

Segundo ele, alguns jornais iniciaram este processo de, como no impresso, ter um elemento gráfico sinalizando alguma correção necessária e o que exatamente foi corrigido na matéria.

Ferreira explica que há modificações nas páginas dos webjornais não informadas aos leitores, ou seja, há erros que não se transformam em erratas, mas simplesmente em atualizações. Eticamente isso não é correto e, mais cedo ou mais tarde, o leitor, que é um consumidor ferrenho e atento, percebe. Como consequência, isso pode comprometer a audiência aquele veículo de comunicação.

"Esse é o maior problema atual. No sistema Elite - sistema que automatiza o processo de produção de um jornal-- criamos um elemento vinculado ao texto. Assim como é a frase ou destaque que se chama 'errata', o jornalista, além de corrigir o erro no próprio texto, deixa sinalizado qual foi a alteração do mesmo em um elemento gráfico acessório na página da matéria publicada, sendo transparente com o leitor e o mais importante, aumentando o nível de confiança do veículo/portal que no meio digital tem uma importância crucial", crava o representante da Mundiware.

Para entender melhor, o sistema Elite é um completo sistema de gestão, automação e controle de produção editorial. Trata-se de uma solução multimídia que aceita diversos tipos de mídias de entrada, como vídeos, textos, fotos, áudio, musica, infográficos. O destaque da ferramenta, no entanto, fica por conta da maior qualidade do conteúdo produzido em menor espaço de tempo, proporcionando menor índice de erros e um aumento significativo na produtividade. Ademais, em casos de "erratas", a ferramenta faz o procedimento fácil para os jornalistas e correto para os leitores.


Sobre a Mundiware 

Fundada em 1993, no Rio de Janeiro, a Mundiware é uma empresa de tecnologia especializada em sistemas para jornais e no desenvolvimento de soluções sob medida para a otimização das fases de produção. Possui uma expressiva participação no mercado de publicação brasileiro e latino-americano. Há três anos a empresa instalou um escritório em Orlando, nos Estados Unidos.

Através da parceria que consegue estabelecer com seus clientes, segue inovando, afim de oferecer sempre um produto de ponta. Conheça os sistemas da Mundiware e abra as portas da sua empresa para o desenvolvimento.




Mais notícias