Tendência mobile e o novo jornalismo



O que está acontecendo com o jornalismo?

Por Ivan Monteiro

“O jornalismo está em crise”. Provavelmente você já deve ter lido essa afirmação por aí ou ouvido de especialistas de dentro e fora da área. Mas existe um equívoco claro nela. Pois, o que está em crise, não é o jornalismo em si, mas sim os seus meios tradicionais. Um novo jornalismo está em ascensão, seguindo uma nova onda de interesse das pessoas por notícias em formatos mais dinâmicos e modernos. Mas não são todos os veículos jornalísticos atuais que vão se beneficiar dessa tendência de crescimento. Saiba mais a seguir!

Quantas pessoas você viu folheando um jornal no formato impresso nos últimos dias? Seja no metrô, na sala de espera ou em qualquer outro lugar. Agora me responda uma pergunta: é certo dizer que as pessoas pararam de ler notícias? Claro que não.

A verdade é outra. Nunca se consumiu tanta informação como nos dias de hoje. Apesar dos jornais e revistas terem deixado de ser as principais fontes de informação das pessoas, as notícias e outros conteúdos jornalísticos estão chegando até as pessoas por outros formatos. As empresas jornalísticas que não se adaptarem ao novo perfil do consumidor, vão ou já estão passando por dificuldades.

É compreensível que essa mudança, principalmente com o avanço da comunicação online, trouxe novos desafios ao jornalismo. Encontrar um modelo de negócios que seja rentável não é das tarefas das mais fáceis. Todavia, apesar dos obstáculos, esse é um momento crucial para ações, já que os leitores estão não apenas lendo e consumindo a informação, mas estão engajados comentando, colaborando e, principalmente, compartilhando o conteúdo. 


A tendência do jornalismo mobile

Falamos anteriormente no texto 5 motivos essenciais para estar no mobile que, de acordo com o relatório da GSMA (entidade que representa operadoras móveis do mundo todo), o Brasil é o país com mais smartphones conectados à internet na América Latina. São 234,6 milhões de conexões sem fio no país no terceiro trimestre de 2017, sendo 73% a partir destes aparelhos e 35% usando tecnologia 4G.

Esse novo hábito do consumidor impulsionou uma nova forma de levar a informação até ele: a plataforma mobile. Porém, muitas empresas de jornalismo não estão nem um pouco preparadas para oferecer ao leitor o que ele realmente deseja e, certamente, não vão se beneficiar dessa forte tendência. 

Atualmente, o leitor carrega seu dispositivo mobile junto com ele e não espera mais para chegar em casa ou no trabalho para ver as notícias do dia pelo computador ou pela TV. Ele está com a informação na palma da mão.


Mudanças também dentro das redações

Os dispositivos móveis influenciaram não apenas a necessidade de levar com mais dinamismo a informação onde está o consumidor, mas também contribuíram para uma nova percepção dentro das redações. 

Durante o 18º Simpósio Internacional de Jornalismo Online (ISOJ), realizado em 2017, Karin Assmann, pesquisadora da Universidade de Maryland, revelou sua pesquisa com “editores de engajamento com a audiência” e o papel de intermediários entre jornalistas e o público que consome as notícias via dispositivos online.

Para Assmann, algumas redações estão apostando numa linguagem como as de influenciadores digitais, inclusive contratando especialistas na função, para alavancar a interação com o público nas redes sociais. Essa alteração na dinâmica de trabalho tem feito jornalistas deixarem o seu trabalho mais atrativo para os canais de distribuição.

Esse tipo de revolução dentro das redações tem sido impulsionada por plataformas que permitem a realização de matérias dentro do próprio ambiente digital, permitindo também a edição e a publicação de notícias. Nos dias de hoje, é possível explorar o trabalho de redações jornalísticas até fora do ambiente físico de trabalho. 


Criação de aplicativos: mais acessível

Além de marcar com uma presença mobile, a empresa jornalística precisa investir em uma plataforma inteligente e prática. Isso porque as ofertas de aplicativos são diversas e brigam pela atenção dos usuários.

Tempos atrás, quando se falava no uso de mobile apps (aplicativos móveis) esse tema era tratado como artigo de luxo que só estava no orçamento de poucas organizações, principalmente as maiores.

Atualmente, o investimento em uma estratégia mobile ficou mais acessível e passou a ser uma necessidade empresarial. Com a presença em dispositivos móveis que já estão consolidados como favoritos dos brasileiros, as empresas conseguem competir em pé de igualdade com seus concorrentes, mesmo gigantes, evitando a perda de oportunidades.

Nos dias de hoje, é possível ir além de dizer que a presença mobile é somente uma estratégia. Ela tornou-se indispensável.


A Mundiware, empresa de tecnologia especializada em sistemas digitais para jornais, oferece a criação de apps ideais para a publicação e disseminação de postagens aos usuários. Isso garante ainda mais segurança e credibilidade para a empresa jornalística, além da possibilidade de aumento da audiência fidelizada.

O serviço FastNews, desenvolvido pela empresa, é ideal para o jornal ou revista apresentar conteúdo próprio e original de forma instantânea aos seus usuários. O aplicativo disponibiliza diversos benefícios para os leitores e ainda apresenta o push como ferramenta de acionamento para o leitor. Tudo prático e dinâmico, como a informação deve ser difundida em smartphones.

Com o sistema FastNews App, é possível que o app da sua empresa:

- Envie push ao seu leitor das principais notícias ao longo do dia;- Dê liberdade ao seu usuário de enviar sugestões de pauta e conteúdo direto do aplicativo;- Rentabilize com anúncios exclusivos para o seu APP.

Para saber mais, acesse: fastnews.mundiware.com

Com informações: Tecnologia do dia, Knight Center, Portal Imprensa, Super Interessante, Guia do Estudante.




Mais notícias